31 de maio de 2017

Sobre a palavra versátil


Quem me conhece sabe do meu amor pela escrita desde muito nova, assim como a minha paixão pela literatura em si. Escrever sempre foi um ato de libertar os pensamentos, de criar belos contos e poesias que pudessem demonstrar através daquelas palavras o que eu sinto, penso e como vejo a vida. Escrevendo palavra por palavra vou montando um mundo novo, diferente da nossa realidade, despertando sonhos e desejos apagados ou mesmo esquecidos. Foi de pensar sobre as tantas palavras que já usei nesta vida para traduzir meus sentimentos que decidi utilizar este espaço para mostrar o poder da palavra versátil, que hora muda o tom de doce para rude e também permanece estática, imóvel e limitada. 
A palavra versátil pode ser do jeito que ela quiser. Pode falar do novo, bem como do antigo. Pode falar da literatura clássica e pode também dar espaço ao que é novo, recente, quase cru. Aqui tentarei juntar o passado com o presente e até mesmo o futuro da nossa literatura em geral. Afinal, a palavra versátil tem esse poder de mobilidade e persuasão. Ela pode tanto agradar o público como pode também nos deixar decepcionados, mas não há o que se temer: a palavra é livre, livre para ser o que quiser ser.
Escrever neste espaço para mim é de uma enorme e profunda alegria porque agora tenho sentido o desejo e a capacidade de criar textos para mostrar ao público em geral, pois antes eu escolhia bem a quem mostrar minhas escritas. Agora eu quero fazer algo novo e digo isto porque já escrevo faz um tempo em outro blog que cuida de valor pessoal e que me é muito especial também, mas aqui cuidarei de assuntos mais ligados à literatura e entretenimentos desta área.
Espero de coração que gostem e sempre que possível consigam passear por estas palavras que espero com todo o meu coração, sejam especiais e levem informação e diversão a todos vocês.
Deixo aqui um texto versado que me veio à mente enquanto nascia o desejo de criar este espaço e que dediquei para alguém muito importante em todo o meu processo de escrita:

A palavra primeiro surge no pensamento e no papel vai ganhando forma.
Escreve um desejo
Escreve um mistério 
Quem poderá desvendar? 
A palavra sozinha pode muito dizer
A palavra em companhia tanto fala como nada pode falar 
A palavra do muito usar acaba-se gasta
A palavra emudecida faz perder a oportunidade da vida realizada
A palavra pode ser triste ou ser alegre
Mesmo sendo de menos ou demais precisa se expressar 
A palavra vem no gesto, na escrita e simplesmente no olhar
E de tanto usar palavras, recito este verso que invento agora 
Pra dizer que das minhas  milhões de palavras já escritas, já descritas 
Em tempo algum
Poderão traduzir o que vem do coração 
O verso perde o tom
A vida perde a razão 
Palavra lançada ou não 
O sentimento se decifra 
Sem letra ou com letra lançada
Aqui me enrolo para apenas dizer 
Que com palavra ou sem palavra 
Eu...gosto de você 
Seja como for 
Seja do jeito que for
Que a palavra tanto usada e sacramentada nesta relação 
Não seja o limite para refletir e traduzir
Tudo que está no coração.
Que a palavra voe e encontre seu rumo
Que a palavra repouse e tenha paz em seu destino
Que as palavras que uso sejam a canção, sejam o hino
Daqueles que emudecem sonhos e sentimentos
Mas que agora encontrem razão para viver ao máximo
Tudo o que guardam dentro de si.



2 comentários:

  1. Parece que você transforma tudo em poesia mesmo ��

    ResponderExcluir
  2. Continue escrevendo assim.está lindo o seu espaço. Uma escrita intimista e ao mesmo tempo do mundo inteiro.

    ResponderExcluir

arrows0d7e3.png arrow9ae45.png construction3263b.png
© Palavra Versátil | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.